Belo Horizonte lança Estudo de Vulnerabilidade às Mudanças Climáticas

A Prefeitura de Belo Horizonte lançou, no dia 07 de Dezembro de 2016, no auditório do edifício sede da PBH (Av. Afonso Pena, 1212), a Análise de Vulnerabilidade às Mudanças Climáticas do Município.

A Análise de Vulnerabilidade às Mudanças Climáticas do Município de Belo Horizonte considera como cenário o ano de 2016 com as projeções para o ano de 2030. O Estudo aponta para uma sequência de ações que devem ser feitas nesse período e que visam impactar positivamente as ameaças identificadas como críticas, buscando um desenvolvimento resiliente da cidade em médio e longo prazo.

Continuar lendo “Belo Horizonte lança Estudo de Vulnerabilidade às Mudanças Climáticas”

Rio de Janeiro passa para Paris a presidência do Grupo C40 de megacidades sustentáveis

O grupo C40, rede de cidades para a promoção de desenvolvimento sustentável, elegeu na segunda-feira, 8, a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, como nova presidente, eleita por unanimidade pelo Comitê Diretivo. O anúncio foi feito no Museu do Amanhã, na capital fluminense, e a passagem simbólica do cargo foi feita pelo atual presidente, o prefeito do Rio de Janeiro/RJ, Eduardo Paes.

A cerimônia de transmissão de cargo será durante o Encontro C40 de Prefeitos 2016, na Cidade do México, entre 30 de novembro e 2 de dezembro, principal reunião global de prefeitos das megacidades.

Ainda nesta segunda-feira também foi inaugurado o primeiro escritório do grupo na América Latina, localizado dentro do museu.

Continuar lendo “Rio de Janeiro passa para Paris a presidência do Grupo C40 de megacidades sustentáveis”

As cidades globais e os prefeitos progressistas, por Yue Zhang e Aldo Fornazieri

Em 2001, o socialista Bertrand Delanoë foi eleito prefeito de Paris. Em 2014, Anne Hidalgo, igualmente socialista, foi eleita a primeira mulher prefeita da Capital francesa. Londres só passou a eleger prefeitos a partir de 2000. O seu primeiro prefeito foi Ken Livingstone, da ala esquerda do Partido Trabalhista, que ocupou o cargo até 2008 por ter sido reeleito. Em 2012, as duas maiores cidades da América Latina elegeram prefeitos progressistas e de esquerda: Haddad foi eleito prefeito de São Paulo e Miguel Ángel Mancera foi eleito para governar a Cidade do México. Em 2014, o ex-guerrilheiro Gustavo Petro foi eleito prefeito de Bogotá. Mais recentemente, em 2015, Ada Colau foi eleita prefeita de Barcelona e Manuela Carmena prefeita de Madrid pelo novo partido de esquerda, Podemos. Bill de Blasio, eleito prefeito de Nova York em novembro de 2013, pelo Partido Democrata, também pode ser considerado um prefeito de perfil progressista. Entende-se por progressista aqui, o político que comunga ideias sociais, humanistas, igualitárias e que defende uma modernização fundada no progresso, no bem estar e na sustentabilidade ambiental.

Há dois pontos em comum que conectam esses prefeitos aparentemente diferentes e distantes. Em primeiro lugar, enquanto localizados em diferentes países e continentes, eles são prefeitos de grandes cidades globais que têm posições de destaque na economia mundial e nos assuntos internacionais. Em segundo lugar, os prefeitos são todos de partidos socialistas, progressistas ou de esquerda. Então, por que cidades globais tendem a eleger prefeitos com este perfil?

Continuar lendo “As cidades globais e os prefeitos progressistas, por Yue Zhang e Aldo Fornazieri”

Conferência Internacional: “As estratégias internacionais das grandes metrópoles”

Via AL-LAs (tradução nossa).

1

A Conferência Internacional “As estratégias internacionais das grandes metrópoles” ocorrerá no dia 8 de julho em Barcelona, na Espanha. A Conferência é organizada pelo Projeto AL-LAs, a Área Metropolitana de Barcelona e o Instituto Barcelona de Estudos Internacionais em colaboração com a União Europeia e o Governo da Cidade do México.

Neste espaço, serão analisadas as estratégias para a internacionalização implementadas pelas grandes metrópoles frente à atual dinâmica internacional e seus respectivos contextos nacionais. Serão apresentadas ainda as experiências na definição dos eixos temáticos prioritários para a vinculação das cidades com o exterior e as ações empreendidas nesse cenário, assim como as estratégias de integração de diferentes atores na construção da agenda internacional da cidade e na prestação de contas.

Continuar lendo “Conferência Internacional: “As estratégias internacionais das grandes metrópoles””