Medidas para reduzir emissão de gases e promover desenvolvimento sustentável foram debatidas na COP 22

A 22.ª Conferência das Partes sobre Mudança do Clima (COP 22) viabilizou debates para a construção de agenda comum que promova o alcance do Acordo de Paris – alinhando a redução da emissão de gases e o desenvolvimento sustentável.  O evento reuniu autoridades de diversos países, durante 10 dias, em Marrakech, no Marrocos. Na cerimônia de encerramento, dia 18 de novembro, uma declaração sobre o que os países signatários consideram prioritário para tentar conter o aquecimento global nos próximos anos foi assinada, a Proclamação de Marrakech.

O documento final da Conferência para Ação Climática Global, ou apenas Proclamação de Marrakech, traz o compromisso dos governos locais definidos como decisor político – Policy Makers em inglês – ao lado dos governos e de órgãos reguladores. O intuito é contribuir com ações nos setes setores de duas áreas temáticas: Áreas Naturais e Infraestrutura Sustentável.

Já, o Acordo de Paris foi assinado durante a 21.ª Conferência do Clima (COP 21), em dezembro de 2015, com objetivo principal de construir um novo acordo entre os países para diminuir a emissão de gases de efeito estufa. Isso, para reduzir o aquecimento global e as demais consequência do aumento da temperatura global, mantendo a em 2ºC até 2100.

Diante disso, as principais áreas debatidas na COP 22 foram: o Fundo Verde e o Financiamento, definidos dentro do Acordo de Paris, bem como o impacto das eleições norte-americanas, em que Donald Trump foi eleito presidente, nos principais acordos sobre redução de emissões. Além disso, foi reforçado o compromisso dos países desenvolvidos em contribuir com US$ 100 bilhões, por ano, até 2020 para auxiliar os países em desenvolvimento em alcançar as metas estabelecidas.

Municipalismo
Ainda durante a programação do evento ocorreu a Cúpula de Líderes Locais e Regionais sobre o Clima, que teve por tema Financiar a transição sustentável dos territórios. O espaço destinado aos líderes locais e regionais de 114 países para compartilharem ações desenvolvidas para o alcance do Acordo de Paris, além da construção do documento Roteiro Marrakesh de Ação.

O presidente eleito da CGLU, que é a rede global Cidades e Governos Locais Unidos, Parks Tau, afirmou na ocasião que a organização sempre entendeu que a agenda climática não seria entendida se não estivesse alinhada ao debate sobre o desenvolvimento.

Proclamação de Marrakech, em espanhol, aqui


Fonte: Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s