Mercocidades integrará o Escritório Executivo e o Conselho da CGLU

O Grupo Aberto de Trabalho Permanente de Cidades e Governos Locais da América Latina logrou seus primeiros resultados, através do acordo assinado no último dia 20 de setembro, em Barcelona, na Espanha. Na ocasião, se propôs uma nova representação latino-americana na organização mundial Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU). Esta nova formação é o resultado do intenso trabalho iniciado pelo Grupo “Unidade na Diversidade”.

O acordo se concretizou em Barcelona, no âmbito do Comitê Estatutário da CGLU, e será finalmente aprovado na Assembleia Geral da organização, no próximo 14 de outubro em Bogotá, Colômbia.

A esta nova formação de cidades da América Latina e Caribe junto ao Escritório Executivo e ao Conselho de CGLU, e outros atores regionais, como Mercocidades e a Frente Nacional de Prefeitos do Brasil, se somam à Federação Latino-Americana de Cidades, Municípios e Associações de Governos Locais (FLACMA) e a Rede Metrópoles, que até o presente eram a entidades regionais com representação nesta organização mundial.

O Grupo Aberto de Trabalho Permanente de Cidades e Governos Locais da América Latina (GATP) foi criado em meados de 2015 em Bogotá, durante o fórum “Cidades do Futuro: um diálogo global”, como um espaço de articulação entre algumas cidades, associações nacionais e redes regionais, com o objetivo de coordenar e unir esforços perante uma visão comum. Ressaltando que a nova representatividade deveria orientar suas ações nos princípios da democracia, da transparência e da efetividade.

Os objetivos deste grupo e de seu slogan de trabalho “Unidos na Diversidade” se reafirmaram também no encontro de 3 de dezembro em Paris, durante a Cúpula Mundial sobre a Mudança Climática, em que diversos prefeitos e prefeitas da região expressaram:

“Os governos locais da região enfrentam de primeira mão sérios problemas relacionados com o déficit e a baixa qualidade da moradia, da iniquidade, da desigualdade, da precariedade no acesso aos serviços básicos, do desafio da mobilidade urbana, da busca do espaço público e dos riscos das populações frente aos impactos derivados da mudança climática, entre outros importantes desafios.

Em contraste, na América Latina são muitas as cidades e os governos locais que se destacam como laboratórios de inovação, de luta democrática, de defesa dos direitos fundamentais das mulheres e dos homens e da busca de sociedades mais justas, mais abertas e inclusivas. Como o continente mais urbanizado do planeta, a América Latina está chamada a desempenhar um papel central na definição da nova agenda mundial.

Neste contexto, e a fim de responder adequadamente a estes desafios, chegou o momento para que as diversas expressões de parceria e de trabalho em rede entre as cidades e governos locais da região, abordem, coordenem e unam seus esforços para uma visão comum: o compromisso de trabalhar juntos na diversidade.”

Outros acontecimentos do GATP foram os encontros em abril de 2016 no Panamá, durante XVII Assembleia Plenária da União de Cidades Capitais Ibero-Americanas (UCCI), e em junho de 2016 em La Paz, durante Assembleia também da UCCI


Fonte: Mercocidades.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s