Evento: Primeiro Fórum Aberto de Ciências da América Latina e do Caribe

Via Mercocidades.

logo-cilac-1
“Transformando nossa região. Ciências, tecnologia e inovação para o Desenvolvimento Sustentável” é o tema que reunirá mais de 30 países da região em Montevidéu, de 6 a 9 de setembro, no Fórum Aberto de Ciências Latino-América e Caribe (CILAC). Trata-se de um intercâmbio que busca alimentar a agenda de desenvolvimento, planejamento e tomada de decisões, a fim de beneficiar a vida de todos os cidadãos da região.

O Fórum é organizado pela Prefeitura de Montevidéu, pela Agência Nacional para a Pesquisa e Inovação do Uruguai (com sua sigla em espanhol ANII); pela Universidade da República do Uruguai (Udelar); pela Associação de Universidades Grupo Montevidéu e pelo Escritório Regional de Ciências da UNESCO para América Latina e Caribe. A atividade conta também com o patrocínio da Rede Latino-Americana de Popularização da Ciência e da Tecnologia, do Laboratório Tecnológico do Uruguai e da Comissão Nacional do Uruguai para a UNESCO.

A CILAC 2016 representa a colaboração interdisciplinar e multisetorial da realidade latino-americana e caribenha, diante dos enormes desafios de nossa época. Seu principal objetivo é criar um espaço para debater, planificar e monitorar que reuna Governos, Universidades, Empresas, Organizações Científicas e a Sociedade Civil, através de uma Agenda Regional alinhada com as prioridades estabelecidas na Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.

Na apresentação do lançamento do Fórum, o prefeito de Montevidéu, Daniel Martínez, salientou que o conhecimento é o que diferencia às nações na solução de seus problemas, além de ser fundamental para atingir a justiça social. “A capacidade de desenvolver ciência e tecnologia, a capacidade de desenvolver ciências básicas e lograr aplicar-las na vida cotidiana dos cidadãos, se une ao problema da sustentabilidade. Não podemos ir estragando nosso planeta , devemos ter desenvolvimentos equilibrados”.

Por seu lado, o diretor-geral adjunto da UNESCO, Getachew Engida, destacou a importância das iniciativas inovadoras na região, porque “nos últimos anos tenho notado uma mudança na atitude do público para as ciências, além de estarmos melhorando a forma em que falamos sobre ciências e entendemos a necessidade de integrar as ciências sociais, humanas, da vida e as naturais, de modo tal que o conhecimento científico alimente a agenda de desenvolvimento, planejamento e tomada de decisões.”

O Fórum promove o diálogo entre ciência e cidadania, através de múltiplos eventos públicos de livre acesso em distintos bairros de Montevidéu. O Programa da CILAC inclui Conferências, Oficinas, Visitas técnicas, Apresentação de Estudos, Exibição de Cartazes, Mostra de Stands, assim como atividades recreativas e de divulgação, tais como Cafés científicos, Olimpíadas, Stand up, Mostras de arte e ciência, etc.

Os resultados do primeiro Fórum constituirão um insumo para a próxima edição do Fórum Mundial da Ciência “Ciência para a Paz”, que será realizado em Jordânia em 2017, ressaltando a posição da região latino-americana e caribenha.

Para mais informações, clique aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s