Três bairros em cidades distintas são eleitos pela notável adoção de práticas sustentáveis

Em artigo da Energy Innovation, o “Cities for People in Practice” comparou os resultados da aplicação de práticas de desenvolvimento urbano sustentável em 3 comunidades de diferentes cidades.

Guangzhou na China, Estocolmo na Suécia e Freiburg na Alemanha foram as cidades eleitas quando o assunto é uma nova abordagem para o desenvolvimento urbano. Apesar da distâncias e diferenças culturais entre as três localidades, diversos elementos fizeram de bairros nestas cidades modelos de sustentabilidade urbana.

Nos bairros selecionados destas 3 cidades houve uma política de incentivo ao transporte público, às bicicletas e ao caminhar, o que resultou em um aumento da mobilidade e uma alta qualidade de vida para visitantes e moradores. Entretanto, um dado curioso é que os custos de desenvolvimento aplicados para estes bairros foram comparáveis aos aplicados em outras partes destas cidades.

Os 8 Princípios de desenvolvimento urbano sustentável

O Planning Cities for People (Planejando Cidades para Pessoas), a partir de 8 princípios que focam em cidades mais humanas, promove modelos alternativos aos carros, enfatizando um conjunto de modos alternados de locomoção em torno das áreas de maior circulação:

  1. Andar: Desenvolver bairros que possibilitem às pessoas caminhar.
  2. Conectar: Criar densas redes de ruas e caminhos para o transporte não motorizado.
  3. Locomoção: Construir rotas e trajetos de alta qualidade, possibilitando a conexão entre modais.
  4. Bicicletas: Priorizar o transporte da bicicleta por meio de faixas exclusivas e seguras.
  5. Uso misto: Incentivar bairros de uso misto.
  6. Densidade: Encorajar maior densidade urbana em torno das principais estações de transporte.
  7. Compacto: Estabelecer limites de crescimento e planejamento para regiões compactas com deslocamentos curtos.
  8. Alternar: Aumentar a mobilidade com a regulação de vagas de estacionamento e uso de ruas.

Liuyun Xiaogu se caracteriza tanto pelo número de pessoas se deslocando a pé como pelo uso misto dos prédios


Liuyun Xiaoqu

Em Liuyun Xiaogu, o bairro sustentável de Guangzhou, espaços comerciais são bastante frequentes no andar térreo de prédios. A mudança veio depois que a aplicação do uso misto (residencial-comercial) foi permitida na área. Como resultado, a área dos espaços no andar térreo tiveram um aumento de 30% do valor.

A introdução do desenvolvimento de uso misto, melhorias no espaço público e nas conexões de transporte melhoraram substancialmente a qualidade de vida. A possibilidade de se caminhar neste bairro agora é maior e oferece acesso rápido a bens, serviços, transporte e áreas recreativas. O projeto urbanístico voltado para pessoas e com o uso misto transformou Liuyun Xiaogu em um ambiente muito mais agradável para crianças e idosos.

Hammarby na Suécia reduz os impactos ambientais

Hammarby

No bairro de Hammarby, na cidade sueca de Estocolmo, a demanda por moradia tem sido tão alta que cada nova fase de construção se esgota quase que rapidamente. O impacto ambiental desta comunidade é em torno de 30% a 40% menor que em outras áreas. O transporte por carro corresponde a 21% dos deslocamentos feitos pelos residentes do bairro. Mais impressionante são os dados que comprovam que a vivacidade e a ótima performance sustentável só aumentaram os custos da região em no máximo 4%.

Poucos carros em Vauban, um bairro sustentável na cidade alemã de Freiburg

Vauban

Em Vauban, o bairro sustentável da cidade de Freiburg, a concepção sustentável do distrito conseguiu, com sucesso, despriorizar o uso do carro e promover a bicicleta e o caminhar como formas de locomoção. Como resultado, apenas 16% dos residentes têm carro e 64% de todos os deslocamentos são feitos com meios de transporte não motorizados. Com ruas seguras, oportunidades recreativas a céu aberto, Vauan atraiu e reteve muitas famílias, contribuindo para a estabilidade social. Quando comparado aos métodos tradicionais e menos sustentáveis de construção, os valores foram maiores em, no máximo, 5%, e a demanda por espaços em prédios comerciais e residenciais nunca foi tão alta.

Por que as cidades sustentáveis prosperam?

Além dos benefícios ambientais, sociais e culturais, comunidades que foram planejadas de acordo com os 8 Princípios também apresentaram melhor performance econômica. O uso misto e a densidade populacional trouxeram uma base de consumidores embutidos para os negócios locais. Qualidade de vida e espaços culturais vibrantes atraem pessoas talentosas, auxiliando o crescimento econômico posterior e, desta forma, criando um ciclo virtuoso.

Em um mundo de rápido crescimento das cidades e seus vários desafios, incluindo congestionamento, poluição, pobreza e crime, esta é uma combinação poderosa de benefícios. Prefeitos e outros líderes ao redor do mundo deveriam incorporar os 8 Princípios em suas práticas de planejamento urbano para oferecer uma fundação sólida para o sucesso das cidades.

Acesse o documento da Energy Innovation sobre os 8 Princípios em: http://energyinnovation.org/wp-content/uploads/2015/01/Cities-for-People-in-Practice-2015.pdf

Fonte: http://sustainablecitiescollective.com/cc-huang/1034916/three-worlds-best-cities-people

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s